Diplomacia

Russo é preso na Alemanha sob acusação de espionagem

O homem teria se encontrado com um agente da inteligência russa para repassar informações de uma universidade em troca de dinheiro

A Alemanha anunciou na segunda-feira (21) a prisão de um russo acusado de espionagem. O homem, identificado apenas como Ilnur N., trabalhava como assistente de pesquisa em uma universidade alemã, de acordo com o site da emissora norte-americana ABC News

A prisão ocorreu na sexta-feira (18), e a polícia realizou buscas tanto na casa quanto no local de trabalho do suspeito. Não foi divulgado o nome da universidade na qual ele trabalhava nem a cidade onde ocorreu a detenção. Sabe-se que ele atuava no departamento de ciências naturais e tecnologia.

Segundo a Justiça alemã, o homem teve contato pessoal com um agente da inteligência russa ao menos três vezes desde outubro de 2020. Os encontros serviam para ele repassar informações coletadas na universidade em troca de dinheiro. Ele seguirá preso até saber se será denunciado.

Angela Markel e Vladimir Putin: espionagem e crimes cibernéticos geram tensão entre os dois países (Foto: Wikimedia Commons)

Crise diplomática

A Rússia está na mira de diversas nações por espionagem e crimes cibernéticos. No mês passado, líderes de nove países europeus condenaram o que chamaram de “atos agressivos” por parte de Moscou.

O caso mais famoso envolve dois agentes da inteligência russa acusados de envenenar o ex-espião Sergei Skripal em 2018, em Salisbury, na Inglaterra. Também há evidências da participação de ambos em explosões de depósitos de armas na Bulgária, entre 2011 e 2020, e na República Tcheca, em 2014. 

Em meio às investigações, Sófia e Praga expulsaram diplomatas russos sob a suspeita de atuarem como espiões. Moscou taxou as acusações como “absurdas” e anunciou expulsões recíprocas de diplomatas. 

A Itália chegou a criar uma unidade de segurança cibernética para se proteger de eventual “interferência” russa, segundo o primeiro-ministro Mario Draghi. No dia 10 de junho, um polonês foi preso acusado de espionar o Parlamento da UE (União Europeia) em favor da Rússia.

Berlim x Moscou

A relação entre Rússia e Alemanha é particularmente tensa. A polícia alemã apertou o cerco em 2014, quando da anexação por Moscou da região da Crimeia, na Ucrânia. O estopim da crise diplomática remete a Alexei Navalny, opositor do governo Putin que recebeu tratamento em Berlim após ser envenenado. Atualmente ele está preso em Moscou.

Desde o início do impasse, a UE proíbe a venda a empresas russas de bens de dupla utilização, que possam também ter uso militar. Foi o que levou à prisão, em maio deste ano, de um empresário da cidade de Leipzig, no leste alemão. Ele teria vendido equipamentos para empresas de armamentos ligadas aos serviços de espionagem da Rússia.