Londres quer que bancos e corporações listem exposição a riscos climáticos

Com medidas, Reino Unido tenta iniciar processo para zerar suas emissões de carbono em até 30 anos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Além das instituições financeiras, o Reino Unido também quer que grandes empresas listem sua exposição a riscos climáticos. A medida integra o plano de zerar as emissões de carbono até 2050.

O objetivo de Londres é ultrapassar as recomendações da TCFD (Força-Tarefa para Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima, em inglês).

Por enquanto, o esforço é que apenas instituições financeiras divulguem possíveis impactos climáticos a clientes. Os países devem sancionar medidas efetivas até 2025, registrou o The Guardian.

Na segunda (9), o chanceler inglês, Rishi Sunak, afirmou que Londres estuda medidas para exigir o controle a cada cinco anos.

Além dos bancos, Londres quer exigir que corporações listem exposição a riscos climáticos
Protestos pelo clima em Edimburgo, capital da Escócia, em setembro de 2019 (Foto: Creative Commons/Maverick Photo Agency)

Com a implantação – ainda sem data prevista –, o Reino Unido deve se tornar o primeiro país do G20 a gerar políticas públicas para a contenção dos gases de efeito estufa. As emissões são as principais responsáveis pelo aquecimento global.

Sunak também anunciou planos para o primeiro gilt verde da Grã-Bretanha – um título para arrecadar investimentos em projetos de redução de carbono e criação de empregos em todo o país. O governo deve lançar a medida aos mercados financeiros em 2021.

“Este novo capítulo significa colocar todo o peso da inovação, experiência e capital do setor privado para alavancar o esforço global de enfrentamento às mudanças climáticas e proteção ao meio ambiente”, disse Sunak, em referência ao Brexit.

A medida deve abranger uma parte significativa da economia, como empresas comerciais e privadas, bancos, construtoras e companhias de seguros e pensões.

Tags: