Radiação de origem desconhecida intriga AIEA e países no norte da Europa

Segundo a Agência Internacional de Energia Atômica, isótopos radioativos não têm risco para a saúde humana
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) ainda não identificou a origem da liberação de radiação no norte da Europa, de acordo com comunicado emitido nesta segunda (29).

No último sábado (27), a AIEA entrou em contato com países europeus, questionando se algum evento em seus territórios poderiam justificar a liberação atmosférica dos radioisótopos.

Dos Estados-membros europeus, 29 informaram que não sabiam a origem da liberação, também identificada pelas autoridades de países como Noruega, Finlândia e Suécia.

De forma voluntária, Geórgia, Argélia, Tajiquistão e Emirados Árabes Unidos forneceram dados de que a radiação também não era proveniente de seus territórios.

Segundo a agência, os isótopos radioativos não representam risco para a saúde humana. A AIEA afirmou que continuará a investigação para identificar a origem de radiação no norte europeu.

Agência da ONU não identifica origem de radiação no norte da Europa
Sede da AIEA em Viena, na Áustria (Foto: Wikimedia Commons)

Rússia

O Instituto Nacional de Saúde Pública da Holanda afirmou que os isótopos identificados podem ser de origem russa. Segundo a agência de notícias Associated Press, os resíduos podem ter ligação com um elemento combustível de usina nuclear.

Porém, a estatal de energia nuclear russa afirmou que nenhuma das duas usinas nucleares no noroeste da Rússia relataram problemas.

Tags: