ONGs pedem investigação de assassinato de jornalista paquistanês

Repórter denunciava corrupção no governo local e foi ameaçado; família também está sendo perseguida
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A organização RSF (Repórteres sem Fronteiras) pediu investigação independente averiguasse sobre o assassinato do jornalista Anwar Jan Kethran, que seria mais uma investida contra a imprensa no Paquistão, informou a estação norte-americana “Radio Free Europe”.

Kethran foi morto no dia 23 de julho, após denunciar corrupção local na província do Baluchistão, no sudoeste do país. O jornalista foi morto a tiros por dois homens quando voltava para casa, em Barkhan, cidade ao nordeste da província.

Anwar foi morto no dia 23 de junho, em Barkhan, no Paquistão (Foto: Divulgação/Pukhtunnama)

A sua família, que também está sendo perseguida, acusa o ministro do Baluchistão Abdur Rehman Kethran de ter ordenado o assassinato. O ministro já teria ameaçado o repórter por sua cobertura.

Anwar denunciava um esquema de corrupção local nas redes sociais antes de ser morto

Jornalistas ameaçados

Em nota emitida no dia 30 de julho, Daniel Bastard, chefe de Ásia-Pacífico da RSF, apontou que há indícios de que Anwar foi morto por denunciar supostas práticas corruptas das autoridades locais.

A investigação independente foi solicitada ao primeiro-ministro do Baluchistão, Jam Kamal Khan.

Anwar foi morto dois dias após outro jornalista, Matiullah Jan, ser sequestrado na capital paquistanesa Islamabad. Jan foi libertado 12 horas depois e sofreu tortura em cativeiro.

A RSF denuncia que vários jornalistas paquistaneses foram detidos nos últimos meses. A suspeita é de que a violência seja patrocinada pela ISI, agência de espionagem militar que goza de imensa influência junto ao governo local.

Tags: