Américas

EUA revogam permissão para cia aérea do Paquistão operar voos diretos

Medida tem relação com as recentes alegações de supostas licenças ilegais de pilotos comerciais paquistaneses

[social-share]

O governo dos Estados Unidos revogou a permissão concedida à PIA (Pakistan International Airlines) para operar uma série de voos diretos especiais para o território norte-americano, afirmou o porta-voz da companhia aérea do Paquistão nesta quinta (9).

Segundo o jornal paquistanês Dawn, a medida tem relação às recentes alegações de supostas licenças ilegais de pilotos do Paquistão. As descobertas “preocupam seriamente a segurança da aviação”, diria um email enviado aos funcionários da PIA.

A licença foi concedida em abril deste ano para a operação de 12 voos diretos para os EUA, que transportariam pessoas retidas no Paquistão por causa da pandemia do novo coronavírus.

Até agora, a companhia aérea havia operado seis desses voos para diferentes cidades norte-americanas. Era a primeira vez que uma empresa paquistanesa fazia viagens diretamente para os EUA.

EUA revogam permissão para cia aérea do Paquistão operar voos diretos
Avião da companhia aérea paquistanesa PIA (Foto: Dale Coleman/Wikimedia Commons)

Pilotos paquistaneses

Em junho, o ministro da Aviação paquistanês, Ghulam Sarwar Khan, divulgou no parlamento que 150 pilotos da PIA tinham licenças “duvidosas”. Em todo o país, a suspeita gira em torno de 262 pilotos.

A ação sobre as licenças foi motivada por um relatório preliminar sobre um acidente aéreo que matou 97 pessoas em maio, no Paquistão. As investigações apontaram para o não cumprimento dos padrões pelos pilotos como causa do acidente.

Após as revelações, a União Europeia e as autoridades britânicas de aviação impediram a companhia aérea de voar para os seus aeroportos por pelo menos seis meses.