Oriente Médio

Ataque armado termina com a morte de dois talibãs e um civil no Afeganistão

Homens armados dispararam contra o posto de controle dos talibãs em uma região com forte presença do Estado Islâmico-Khorasan

Homens armados atacaram uma posto de controle do Taleban na cidade de Jalalabad, na região leste do Afeganistão, na quarta-feira (22). A ação terminou com a morte de dois combatentes talibãs e um civil, segundo os depoimentos de testemunhas reproduzidos pelo site The Defense Post.

A província de Nangarhar, cuja capital é Jalalabad, tem há anos forte presença do Estado Islâmico-Khorasan (EI-K), a facção local do grupo extremista baseado no Iraque e na Síria e que é rival dos talibãs no Afeganistão.

Segundo testemunhas, homens armados surgiram em um tuk-tuk e dispararam contra o posto de controle dos talibãs. Além de dois combatentes, os disparos atingiram um civil que passava pelo local no momento do ataque. O Taleban confirmou a ação, mas contestou os depoimentos e disse que todos os mortos eram civis.

Ataque armado termina com a morte de dois talibãs e um civil no Afeganistão
Combatentes do Estado Islâmico-Khorasan no Afeganistão: rivais locais do Taleban (Foto: reprodução de vídeo)

Ainda em Jalalabad, de acordo com a agência AFP, dois talibãs ficaram feridos quando tentavam desarmar um artefato explosivo. No final de semana, o EI-K haviam assumido a autoria de diversos ataques a bomba realizados na cidade, nos quais morreram ao menos outras três pessoas.

O grupo extremista é o mesmo que assumiu a autoria do violento ataque ao aeroporto de Cabul no final de agosto, durante o processo de retirada das tropas dos EUA e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) do país.

Por que isso importa?

No Afeganistão, o EI-K tende a ser o principal opositor doméstico do Taleban. O grupo trata os talibãs como apóstatas, sob a acusação de que abandonaram a jihad por uma negociação diplomática. Isso tornaria válido o assassinatos de combatentes do Taleban, conforme a interpretação das leis islâmicas.

Militarmente, porém, a vantagem no Afeganistão é do Taleban, que fortaleceu seu arsenal durante e após a retirada de tropas estrangeiras do país e tende a agregar novos recrutas agora que governa o país. São cidadãos afegãos e mesmo estrangeiros que buscam proteção e meios para sobreviver.

O que distancia os dois grupos é a base ideológica. O Taleban é adepto de uma interpretação do Islã que defende a subserviência da mulher, proíbe muitas tecnologias e o entretenimento, aceitando apenas o conhecimento inspirado por Deus. Já o EI-K prega ideologia ultraconservadora do islamismo Sunita, apoiando a Sharia (lei islâmica) e castigos corporais. Acredita que o mundo deveria seguir os preceitos históricos do Islamismo.