Bombardeios da Turquia atingem agrupamentos de guerrilha curda no norte do Iraque

Alvos são combatentes do PKK, grupo que luta pela autonomia curda na Turquia e é considerado terrorista por Ancara
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Bombardeios realizados pela força aérea da Turquia, na terça-feira (1), atingiram seis agrupamentos da guerrilha PKK (Partido dos Trabalhadores Curdos), na região norte do Iraque. Há registro de mortos, embora os números não tenham sido divulgados. A informação foi transmitida por autoridades da região autônoma do Curdistão iraquiano, de acordo com o site The Defense Post.

“Aviões de guerra turcos atacaram várias posições de combatentes do Partido dos Trabalhadores Curdos”, particularmente nas regiões de Makhmur e Sinjar, disseram os serviços de contraterrorismo curdos em comunicado. “Aviões militares turcos bombardearam seis posições do PKK nas montanhas Karjokh. de acordo com relatos, os bombardeios causaram perdas humanas e materiais”.

“Nosso objetivo é garantir a segurança de nossos 84 milhões de cidadãos e nossas fronteiras”, disse o ministro da Defesa turco Hulusi Akar, nesta quarta-feira (2), segundo a agência catari Al Jazeera. “Um grande número de terroristas foi neutralizado na Operação Winter Eagle. Estamos acompanhando de perto os resultados”.

Em dezembro, o Ministério da Defesa da Turquia acusou o PKK de matar três soldados turcos em um ataque realizado norte do Iraque, o que levou a outro ataque aéreo de retaliação na época. A última grande ofensiva aérea da Turquia na área, tendo como alvo posições da milícia curda, ocorreu em abril do ano passado.

Combatente do PKK em agosto de 2015 (Foto: Divulgação/ Kurdishstruggle)

Por que isso importa?

O PKK luta pela autonomia curda na Turquia há três décadas e tem bases também na Síria, onde seria representado por outra milícia, a YPG (Unidade de Proteção do Povo). Nos últimos anos, Ancara acusa o inimigo de realizar ataques a bomba para tornar ingovernável uma área habitada por mais de 3 milhões de sírios que fugiram de áreas controladas pelo governo central durante a guerra civil.

A Turquia lista o PKK como uma organização terrorista. O presidente turco Recep Erdogan, que ameaçou “limpar” partes do norte do Iraque, acusa a milícia de usar a área montanhosa da fronteira como trampolim para sua insurgência. Assim, militares turcos realizam rotineiramente ataques contra esconderijos do grupo na área, o que compromete as relações com Bagdá.

Tags: