EUA apreende domínios de sites usados para propaganda terrorista

Domínios eram utilizados por organização paramilitar Kata'ib Hezbollah, apoiada pelo Irã, concluiu EUA
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Os Estados Unidos apreenderam dois domínios utilizados para propaganda terrorista, informou o Departamento de Justiça norte-americano no dia 2.

A organização terrorista Kata’ib Hezbollah usava os comandos “alejetahtv.com” e “aletejahtv.org” de forma ilegal no país, disse o comunicado.

O grupo xiita iraquiano lidera atividades paramilitares e é apoiado pelo Irã, de acordo com o comunicado oficial. A organização está enquadrada na lista de terrorismo dos EUA desde 2009.

EUA apreende domínios de sites usados para propaganda terrorista
Comunicado do Departamento de Justiça dos EUA ao bloquear os domínios dos sites de organizações terroristas (Foto: Reprodução/Departamento de Justiça dos EUA)

Nos sites, o grupo se comunicava através de artigos, vídeos e imagens. As comunicações promoviam a agenda do Kata’ib Hezbollah, com objetivo de desestabilizar o Iraque, além de recrutar novos integrantes para a causa, apontou o Departamento de Justiça dos EUA.

O domínio também abrigava um canal com transmissão de televisão online ao vivo, o ‘Al-etejah TV’.

“Mais uma vez, vemos organizações terroristas estrangeiras voltadas à Internet para divulgar sua mensagem e recrutar seguidores para suas causas violentas”, disse o procurador-geral adjunto de Segurança Nacional, John Demers.

No Brasil

Casos mostram que o país é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino. Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos. Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.

Tags: