Oriente Médio

Mais de 4,6 milhões de crianças passam fome na Síria, diz ONG

Estima-se que 65% dos pequenos sírios não comeram uma banana, maçã ou laranja nos últimos três meses

Com a pandemia e o colapso da Síria graças a uma guerra civil de dez anos, já são 4,6 milhões de crianças passando fome no país. A estimativa é de relatório publicado nesta segunda (28) pela organização Save The Children.

O relatório aponta que o acesso a frutas, carnes e vegetais é restrito no país. Mais de 65% das crianças não comeram uma maçã, laranja ou banana nos últimos três meses.

A ONG estima que 700 mil crianças sofreram redução no acesso a alimentos desde o início de 2020. A Síria vive hoje um surto de desnutrição infantil, e estima-se que uma em cada oito crianças sofra da doença no país.

Mais de 4,6 milhões de crianças passam fome na Síria, diz ONG
Equipes da Unicef (Fundo para a Infância das Nações Unidas) atendem a crianças desnutridas no campo de refugiados Mahmoudli, na Síria, em março de 2020 (Foto: UN Photo/Muhammad Wasel)

Nos campos de refugiados superlotados do nordeste da Síria a situação é ainda mais grave. Ali, 25% das crianças não têm acesso a frutas há pelo menos nove meses.

“Quando peço aos meus pais que comprem [frutas] para nós, eles dizem que mal podemos comprar comida”, relatou Noura, 10. Cerca de 5,5 milhões já deixaram suas casas desde o início da guerra, de acordo com a Acnur (Agência de Refugiados das Nações Unidas),

Fome e doenças

A depreciação da moeda e a redução dos fluxos de mercadorias fazem com que uma cesta básica custe 23 vezes mais que a média pré-guerra. O número também é duas vezes maior que o de 2016, momento onde a guerra atingiu seu ponto mais grave.

A ONG deve entregar cestas básicas à população do norte nas próximas semanas. A meta é tentar diminuir a fome na região, a mais afetada da Síria.

“Toda uma geração de crianças está correndo o risco de desnutrição porque suas famílias não podem mais colocar uma refeição na mesa”, alertou a diretora da Save the Children, Sonia Khush.