Oriente Médio

Instalação ligada ao programa nuclear iraniano sofre tentativa de ataque

Teerã descreveu ‘terrorismo nuclear’ após tentativa de ataque a estrutura na cidade de Karaj, a 40 quilômetros da capital

As forças de segurança do Irã conseguiram frustrar um ataque a um prédio da Organização Iraniana de Energia Atômica, nesta quarta (23). A estrutura fica na cidade de Karaj, a 40 quilômetros de Teerã.

Informações de canais iranianos acessadas pela agência catari Al-Jazeera apontam que um drone tentou atacar o prédio como forma de “sabotagem” contra o programa nuclear iraniano. O incidente resultou em um apagão na região.

“O ataque foi interrompido antes de causar danos”, noticiou mais tarde o site Nournews. Não há registro de feridos nem de prejuízos materiais. Não há informações precisas sobre como as forças de segurança iranianas identificaram e neutralizaram a ofensiva.

Prédio estatal de energia atômica do Irã sofre tentativa de ataque
Cidade de Karaj, Irã, em novembro de 2005 (Foto: Divulgação/Ensie & Matthias)

O governo do Irã descreveu o apagão como “terrorismo nuclear” e logo acusou Israel. Tel Aviv já teria realizado diversos ataques – muitas com mortes de cientistas – a instalações do programa nuclear iraniano. Israel não negou ou confirmou as acusações.

Teerã culpa o Estado judeu pelo ataque que causou a morte de Mohsen Fakhrizadeh, criador do programa nuclear do Irã, em novembro, e pela explosão que destruiu parte da área de centrífugas em Natanz, em janeiro de 2020.

A tensão deve ser um obstáculo à negociação para reviver o acordo nuclear de 2015 entre o Irã e os membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas), fragmentado desde 2018 após a saída dos EUA.

O novo presidente iraniano, Ebrahim Raisi, colocou a possibilidade de retomada do acordo nuclear em xeque após sua eleição, no domingo (20). Diferente de seu antecessor, Hassan Rouhani, o político linha-dura deixou claro que “não cederá a pressões” e condicionou o acordo nuclear às condições impostas por Teerã.