Em 2020, dona do TikTok já gastou US$ 800 mil em lobby nos EUA

Empresa tenta se descolar da imagem de agente do governo chinês; há investigação nos EUA sobre segurança
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A empresa chinesa ByteDance, que controla o aplicativo TikTok, gastou em 2020 US$ 800 mil em lobby no Congresso norte-americano. Foram US$ 300 mil no primeiro trimestre e US$ 500 mil no segundo, de acordo com documentos divulgados nesta terça (21) pela Bloomberg.

A controladora do aplicativo de vídeos curtos, popular entre adolescentes, procura se defender de possíveis retaliações derivadas da disputa entre China e EUA.

Há quatro lobistas da ByteDance no Congresso norte-americano e uma equipe de 35 pessoas no total. Um deles é David Urban, que trabalhou na campanha de 2016 do presidente norte-americano Donald Trump.

Em 2020, dona do TikTok já gatou US$ 800 mil em lobby nos EUA
Rede social chinesa TikTok virou peça de disputa geopolítica (Foto: Kon Karampelas/Pixabay)

Os EUA estudam uma eventual proibição ao TikTok. de acordo com o chefe de gabinete do presidente norte-americano Donald Trump, Mark Meadows.

“Há potencial de uma exposição de segurança nacional, especificamente relacionada ao recolhimento de informações de cidadãos americanos por um adversário estrangeiro”, afirmou, segundo a Bloomberg.

Uso de dados

Diversas acusações pesam sob a ByteDance. Entre elas, há suspeitas de uso indevido dos dados de usuários e uma investigação em curso após a compra do aplicativo de dublagem Musical.ly.

Na Índia, o aplicativo foi banido no fim de junho deste ano. A alegação de Nova Délhi também é a de potencial compartilhamento indevido de informações.

Os documentos sobre a ByteDance são de consulta pública, já que o lobby é atividade permitida e regulamentada no país. Segundo a empresa, também houve investimentos em lobby em prol de privacidade e moderação de conteúdos.

O lobby nos EUA começou em 2019, e a meta é se distanciar dos laços com os chineses. A empresa foi criada na China, mas tem como sede formal as Ilhas Cayman, paraíso fiscal no Caribe.

A ByteDance cogitou abrir uma sede para suas atividades fora da China em Londres, no Reino Unido. Com a deterioração das relações entre os dois países, a ideia foi enterrada, segundo reportagem deste domingo (19) do britânico “The Guardian“.

Agora, a empresa estuda inaugurar essa nova unidade em Dublin, na Irlanda. O país, que oferece diversos benefícios fiscais, também hospeda as sedes da consultoria Accenture e da aérea de baixo custo Ryanair.

Tags: