África

Militares anunciam a morte de 35 membros do Al-Shabaab na região central da Somália

Exército afirma que a operação conseguiu recuperar armas dos jihadistas e eliminou combatentes importantes do grupo.

O exército da Somália anunciou, nesta segunda-feira (19), a morte de 35 combatentes do Al-Shabaab, em operação realizada em uma área perto da cidade de Baadweyn, na região de Mudug, no centro do país. As informações são da agência estatal chinesa Xinhua.

Mohamed Tahlil Bihi, comandante da infantaria do exército, disse à Rádio SNA Mogadíscio que as forças de segurança tiveram o apoio de paramilitares da região de Galmudug. Ele afirmou que a operação conseguiu recuperar armas dos jihadistas e eliminou combatentes importantes do grupo.

Ainda segundo Bihi, as forças de segurança conseguiram recentemente reconquistar territórios importantes nas regiões de Mudug e Galguduud, que estavam sob controle do Al-Shabaab.

Militares anunciam a morte de 35 membros do Al-Shabab na região central da Somália
Exército da Somália em abril de 2021 (Foto: divulgação/Twitter/@ModFederal)

No sábado, os militares haviam informado a morte de um membro do grupo na região de Shabelle Dhexe, cerca de 150 km a nordeste da capital Mogadíscio. O exército identificou o terrorista como Nuh Dhagool, líder de uma operação de extorsão contra a população local que visa ao financiamento do Al-Shabaab.

O grupo jihadista, vinculado à Al-Qaeda, luta para derrubar o governo somali e concentra seus ataques no sul e no centro da Somália. As atividades envolvem ataques a grupos de ajuda humanitária, extorsão contra a população local e a proteção de terroristas internacionais que se escondem na Somália.

Os extremistas aumentaram recentemente seus ataques contra as forças da União Africana e da Somália, especialmente em Mogadíscio. Os alvos são principalmente bases militares, hotéis e locais públicos.

No Brasil

Casos mostram que o país é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino. Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos. Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.