ONU: Cerca de 2,7 milhões de somalis devem enfrentar insegurança alimentar

Número inclui 840 mil crianças abaixo dos cinco anos de idade – alta de 65%, segundo órgão vinculado às Nações Unidas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Este conteúdo foi publicado originalmente no portal ONU News, da Organização das Nações Unidas

O Ocha (Escritório das Nações Unidas para Coordenação de Assuntos Humanitários) informou que cerca de 2,7 milhões de somalis enfrentarão insegurança alimentar em situação de crise ou pior, a partir do próximo mês.

O número inclui 840 mil crianças menores de 5 anos. Desde novembro, dezenas de milhares de pessoas foram forçadas a deixar suas casas devido à extrema escassez de água. As previsões já indicam que a estação das chuvas, entre março e junho, terá níveis abaixo da média.

Condições próximas da seca já estão sendo relatadas em partes dos estados da Somalilândia, Puntland, Hirshabelle, Galmudug e Jubaland, depois das fracas chuvas sazonais no final do ano passado.

A perda de pastagens alimentadas pela chuva está ameaçando a sobrevivência do gado, que é a base do sustento de muitos somalis. Deslocados internos contaram ao Ocha que estão buscando água e pasto para seus animais.

ONU: Cerca de 2,7 milhões de somalis devem enfrentar insegurança alimentar
Família somali, na cidade de Belet Weyne (Foto: Ilyas Ahmed/UN Photo)

Ajuda humanitária

As organizações humanitárias entregaram água a 300 mil pessoas em áreas afetadas pela escassez. E o Fundo Humanitário da Somália liberou US$ 13 milhões para ampliar a resposta.

Uma alocação de resposta rápida de US$ 7 milhões do Cerf (Fundo Central de Resposta a Emergências) também está sendo autorizada. Até US$ 20 milhões serão destinados para financiar outras ações de prevenção.

Uma série de problemas humanitários, incluindo conflito, insegurança alimentar e clima irregular, afeta os somalis há décadas. Este ano, a ONU e parceiros pretendem alcançar 4 milhões de pessoas com ajuda humanitária. As organizações pediram US$ 1 bilhão para resposta, mas apenas 2,5% desse financiamento está garantido.

Tags: