Togo, na África Ocidental, tem primeira mulher como premiê em sua história

Victorie Tomegah-Dogbe foi ministra do Desenvolvimento e atua no governo de Faure Gnassingbé desde 2008
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A togolesa Victoire Tomegah-Dogbe foi empossada como primeira-ministra da pequena nação na África Ocidental nesta segunda (28), registrou a Reuters. A escolha de uma mulher para ocupar o cargo é fato inédito na história do país, de oito milhões de habitantes.

Tomegah-Dogbe já foi ministra do Desenvolvimento. Desde 2008, era chefe de gabinete do presidente, Faure Gnassingbé. A transição de poder ocorre após renúncia do ex-premiê, Komi Selom Klassou, na última sexta (25).

A nova premiê defende políticas econômicas contra o desemprego juvenil e a pobreza. É de Tomegah-Dogbe a iniciativa “Togo-First”, um dos principais portais online do país.

Togo tem nova primeira-ministra após renúncia de ex-premiê
Victoire Tomegah-Dogbe, então ministra de Desenvolvimento do Togo, em fórum na Alemanha em setembro de 2015 (Foto: OECD/Thomas Ecke)

O Togo está entre os 25 países mais pobres e vulneráveis entre os membros ONU (Organização das Nações Unidas).

De acordo com um relatório do FMI (Fundo Monetário Internacional), metade da população vive abaixo da linha da pobreza. Com a troca de premiês, espera-se mudança na condução econômica do país.

Neste ano, o país deve crescer apenas 1% – ante uma média de 5% em anos anteriores – graças à crise econômica mundial deixada pela pandemia da Covid-19. A estimativa é do Banco Mundial.

A expectativa para a troca já vinha desde março. Gnassingbé está à frente do país desde a morte de seu pai, Eyadéma, em 2005. O ditador tomou a capital, Lomé, em um golpe em 1967.

Tags: