Colômbia se torna o 37º membro da OCDE

O país foi o terceiro da América Latina a concluir o processo de adesão à instituição; Brasil fica de fora
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A Colômbia se tornou no último dia 27 o 37º membro da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), se tornando o terceiro país da América Latina e Caribe a aderir à instituição. México e Chile também são membros da organização.

De acordo com a OCDE, o processo de adesão da Colômbia começou em 2013 e teve um convite formal em 2018, após cinco anos de revisões por comitês e introdução de reformas políticas, legislativas e de práticas alinhadas aos padrões da OCDE.

“Estamos muito felizes de receber a Colômbia como o 37º membro da OCDE. A adesão é uma prova tangível do nosso compromisso em reunir países que lutam pelos mais altos padrões em políticas públicas, a fim de melhorar o bem-estar e a qualidade de vida de seus cidadãos”, afirmou o secretário-geral da OCDE, o mexicano Angel Gurría.

Sede da OCDE em Paris, França (Foto: Michael Dean/OCDE)

Ainda segundo Gurría, o processo de adesão possibilitou que a Colômbia abordasse questões e desafios políticos importantes para o país, além de aprender com a experiência de outras nações que já passaram pela avaliação.

A entrada de um país na organização leva em consideração questões como redução da informalidade no mercado de trabalho, melhoria na qualidade de vida dos cidadãos e sustentabilidade do sistema de saúde a longo prazo.

A Costa Rica deve ser o próximo país da América Latina e Caribe a se tornar membro oficial da OCDE. De acordo com a instituição, o processo de adesão já está em seus estágios finais.

Brasil

Em 2019, o governo brasileiro tentou angariar apoio dos Estados Unidos para a entrada do país na OCDE. O Brasil é um dos candidatos a iniciar o processo de entrada na organização.

Em janeiro deste ano, os EUA confirmaram a intenção de apoiar a entrada brasileira no grupo. Alguns dias antes, o presidente Jair Bolsonaro havia afirmado que o país está trabalhando para cumprir os requisitos para a adesão.

Caso o país seja aceito como candidato oficial, é necessário que o governo cumpra uma série de requisitos, como os cumpridos pela Colômbia, para que o processo de adesão se encaminhe. Além disso, há uma fase de negociação entre o país candidato e a organização.

Tags: