Jornalista é morto antes de transmitir crimes violentos ao vivo no México

Israel Vazquez teria descoberto restos mortais antes de ser alvejado por 11 tiros; familiares cobram investigação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O jornalista Israel Vázquez foi morto a tiros pouco antes de transmitir ao vivo a descoberta de restos mortais em sacos plásticos na cidade de Salamanca, no centro do México, na segunda-feira (9).

Autoridades do estado de Guanajuato confirmaram à Reuters que o repórter foi alvejado com 11 tiros. Equipes de emergência chegaram a levá-lo ao hospital, mas o repórter não resistiu aos ferimentos.

A transmissão seria realizada pelo portal El Salmantino. “Foi covarde”, disse um colega de Vázquez que não quis se identificar. “Estamos em choque”.

Jornalista é morto antes de transmitir crimes violentos ao vivo no México
Colegas e familiares do jornalista Israel Vazquez, morto no México em novembro de 2020, se reúnem para cobrar investigação sobre a morte do repórter em Salamanca, Guanajuato (Foto: Reprodução/El Salmantino)

Nesta quinta (12), o portal afirmou que dois membros de um cartel local teriam participado do assassinato do repórter. Com uma faixa de luto na página inicial da página, a equipe do site está mobilizada junto da família do jornalista para impedir que o crime fique impune.

“Não é só por Israel. Ele não é a primeira vítima que morre nas mãos de pessoas irresponsáveis”, disse a também repórter do El Salmantino Noreyma Castillo.

O general das forças policiais Carlos Zamarripa Aguirre prometeu uma investigação sobre o caso. Em nota no Twitter, o governador de Guanajuato, Diego Rodríguez, prometeu proteção à família.

Este é o segundo assassinato de jornalista em menos de um mês no México. O país lidera o ranking global de homicídios contra profissionais da imprensa, de acordo com a Unesco.

Tags: