Ásia e Pacífico

Clérigo é preso após ameaçar Malala Yousafzai no Paquistão

Homem incitou fiéis contra a ativista após rejeitar fala de Malala sobre o casamento em entrevista à Vogue britânica

O clérigo Mufti Sardar Ali Haqqani foi preso nesta quarta (9) por ameaçar a Nobel da Paz Malala Yousafzai. Conforme a RFE (Radio Free Europe), a detenção ocorreu depois que um vídeo do clérigo viralizou.

Na gravação, o homem incita os fiéis a realizarem um ataque suicida para matar a ativista assim que ela retornasse ao Paquistão. “Malala insultou o Islã”, disse ele, na província de Khyber Pakhtunkhwa, ao noroeste paquistanês.

Clérigo é preso após ameaçar Nobel Malala Yousafzai no Paquistão
A ativista Malala Yousafzai meses antes de receber o Nobel da Paz, em março de 2014, Londres (Foto: Divulgação/Southbank Centre)

Os comentários teriam sido uma resposta aos recentes comentários de Malala sobre o casamento, em entrevista à Vogue britânica. Na edição, a ativista diz que “não entende” as motivações para a união.

“Se você quer ter uma pessoa em sua vida, por que você tem que assinar papeis de casamento? Por que não pode ser apenas uma parceria?”, questionou. Islâmicos e clérigos rejeitaram o comentário. As leis islâmicas não permitem que casais vivam juntos fora do casamento.

Malala vive no Reino Unido desde 2012. À época, quando tinha apenas 15 anos, foi atacada pelo TTP (Taleban do Paquistão) por iniciar uma campanha pela educação das meninas.

Em 2014, o Nobel da Paz reconheceu seus esforços pela proteção das crianças contra a escravidão e trabalho infantil. Ele retornou ao Paquistão brevemente em 2018 e continua sendo muito popular no país, apesar das amplas críticas de islâmicos e políticos linha-dura.