China segura entrada de equipe da OMS que estuda origens da Covid-19

Beijing alegou que vistos dos pesquisadores ainda não haviam sido aprovados; estudo é prioridade para órgão
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A China bloqueou a entrada da equipe da OMS (Organização Mundial da Saúde) responsável pela investigação das origens da Covid-19. O país alegou que os vistos ainda não haviam sido aprovados nesta terça (5).

O diretor-geral da agência, Tedros Adhanom Ghebreyesus, classificou a situação como “desanimadora”. Segundo ele, dois membros já viajaram ao país e outros tiveram de desmarcar o embarque de última hora.

“Tenho mantido contato com funcionários chineses e já deixei claro, mais de uma vez, que a missão é prioridade para a OMS e para a equipe internacional”, disse ele ao britânico “The Guardian”.

China nega entrada de equipe da OMS em estudo sobre as origens da Covid-19
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em conferência de imprensa sobre o Ebola na República Democrática do Congo, em Genebra, maio de 2018 (Foto: UN Photo/Elma Okic)

A negociação para iniciar o estudo já se prolonga desde julho. O grupo pretende ir a Wuhan, primeiro epicentro do vírus, para investigar a possível origem da transmissão da Covid-19 em humanos.

O objetivo não é averiguar alegações de que o vírus teve origem em um laboratório chinês – já rejeitadas por cientistas do todo o mundo. As acusações aumentaram os índices de xenofobia contra chineses e alimentam as tensões geopolíticas entre Beijing e Washington.

O próprio presidente norte-americano, Donald Trump, defende que a China desenvolveu o vírus e suspendeu as verbas dos EUA à OMS em abril ao alegar “falta de independência” do órgão.

Agora a agência de saúde da ONU (Organização das Nações Unidas) espera garantir a entrada dos membros da comissão em território chinês. “Entendemos que esta deve ser apenas uma questão burocrática que pode ser resolvida rapidamente”, disse Ghebreyesus.

Tags: