Coronavírus

Covid-19 pode frustrar progressos na saúde mundial, diz OMS

Sob risco de se tornar uma endemia, novo coronavírus pode prejudicar acesso a vacinação e a tratamento de doenças

A OMS (Organização Mundial da Saúde) alertou que os progressos apresentados no documento podem estar em risco diante da pandemia do novo coronavírus. É a constatação do relatório Estatísticas Mundiais da Saúde para 2020, divulgado nesta quarta (13).

De acordo com o documento, mais pessoas estão vivendo mais tempo e de maneira mais saudável em todo o mundo. Os maiores ganhos foram constatados em países de baixa renda, onde a expectativa de vida aumentou 11 anos entre 2000 e 2016.

Melhore cuidados para mães e bebês levaram a queda da mortalidade infantil desde 2000. Houve também aumento no acesso a tratamento para HIV, malária, tuberculose e doenças tropicais, como a do verme-da-guiné, em países de baixa renda.

No entanto, o progresso continua lento e está ameaçado pelo Covid-19. Há risco de se retroceder em questões como vacinação infantil, malária e doenças tropicais, afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“As novas estatísticas mostram um dos principais impulsionadores dessa pandemia: a desigualdade. Como é que em 2020, quase 1 bilhão de pessoas está gastando pelo menos 10% de sua renda familiar em serviço de saúde?”, questionou Ghebreyesus.

De acordo com o diretor-geral da OMS, mais de 55% dos países tem menos de 40 enfermeiras e profissionais de obstetrícia a cada 10 mil habitantes.

“Apesar do coronavírus representar um choque sem precedentes para o mundo, por meio da unidade nacional e da solidariedade global podemos salvar vidas e meios de subsistência e garantir que outros serviços de saúde continuem a funcionar e melhorar”, afirmou.

Covid-19 pode frustrar progressos na saúde mundial, diz OMS
Hospital em Salvador, Bahia, atende pacientes com coronavírus (Foto: GOVBA)

Endemia

Ainda nesta quarta, a OMS afirmou que o Covid-19 pode se tornar uma endemia, assim como o HIV. A endemia está relacionada à grande frequência de casos de uma doença que pode se concentrar em uma região. As informações são da agência de notícias Reuters.

“Acho importante sermos realistas e acho que ninguém pode prever quando essa doença irá desaparecer”, afirmou o diretor-executivo de emergências da OMS, Mike Ryan. “Essa doença pode se tornar um longo problema ou não.”

Ryan afirmou que a luta contra a doença precisará de um grande esforço mundial, mesmo que uma vacina seja desenvolvida. Ele observou que vacinas existem para outras doenças que não foram eliminadas, como o sarampo. Atualmente, mais de 100 vacinas potenciais contra o Covid-19 estão sendo desenvolvidas.