Produção econômica japonesa tem maior queda desde Fukushima, em 2011

Governo espera forte recessão após impacto da pandemia do novo coronavírus na produção, no emprego e nas vendas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O índice de produção, emprego e vendas da economia japonesa apresentou a queda mais rápida dos últimos nove anos, conforme relatório divulgado nesta terça (12). A informação é da agência de notícias Reuters.

Esse índice, que inclui dados da indústria e varejo caiu 4,9 pontos de fevereiro para março. Isso significa o início de uma profunda recessão, causada pelo forte impacto da pandemia do novo coronavírus na economia, na análise do governo do Japão.

Uma queda tão brusca não havia sido registrada desde março de 2011. Naquele momento, país havia sido atingido, simultaneamente, por um terremoto, um tsunami e o desastre nuclear de Fukushima.

Governo espera forte recessão após impacto da pandemia do novo coronavírus na produção, no emprego e nas vendas
Movimento de uma rua em Kabukicho, em Tóquio, em junho de 2019 (Foto: Basile Morin/Wikimedia Commons)

O ministro da Economia japonês, Yasutoshi Nishimura, já informou que os dados de produção, emprego e vendas para abril devem ser piores. No mês passado, o país declarou estado de emergência para conter a disseminação do vírus e a consequência foi a paralisação econômica.

A emergência permite que os governadores das 47 regiões japonesas adotem medidas rigorosas para incentivar as pessoas a ficarem em casa e as empresas a fecharem as portas.

Outro índice, que mede dados como ofertas de emprego e confiança do consumidor, caiu 8,1 pontos entre fevereiro e março. Essa foi a maior queda desde o início da série histórica, em 1985.

O governo do Japão já preparou um pacote multibilionário de medidas para socorrer a economia.

De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), o Japão registrou até esta terça 15,8 mil casos da doença e 643 mortes.

Tags: