A poucos dias das eleições, candidatos ‘dublês’ confundem eleitores na Rússia

Boris Vishnevsky, notório crítico do Kremlin, denunciou adversários políticos de mesmo nome e aparência semelhante
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Confundir eleitores de oposição é uma das táticas do Kremlin em período eleitoral. A poucos dias do pleito parlamentar de 19 de setembro, o candidato Boris Vishnevsky, notório crítico do governo Putin, denunciou a existência de dois adversários homônimos, que, ainda por cima, são praticamente idênticos a ele. O jornal independente The Moscow Times explicou o caso, que se passa em São Petersburgo.

Os eleitores da segunda maior cidade da Rússia precisam ficar atentos para não confundir Vishnevsky, ligado ao partido liberal Yabloko, a dois outros candidatos também identificados como Boris Vishnevsky e que se parecem muito com o oposicionista. A tática de nomes idênticos já é comum no país, mas a semelhança física é novidade.

Diante da peculiar situação, que tem contornos de ficção, Vishnevsky acusa as autoridades de enganar os eleitores, a fim de dividir os votos de protesto contra o governo de situação, tática sugerida pelo também oposicionista Alexei Navalny para enfraquecer o presidente Vladimir Putin.

No último domingo (5), Vishnevsky postou em sua conta no Twitter a foto de um pôster informativo sobre as eleições para a Assembleia Legislativa de São Petersburgo, mostrando os três homônimos. Os dois fakes têm cortes de cabelo semelhantes a ele, além de barbas pintadas de branco.

“Meus ‘dublês’, que se tornaram ‘Boris Vishnevsky’ a tempo das eleições, mudando de nome e sobrenome, agora mudaram de aparência. Eles cresceram barbas e bigodes, e acho que também tiveram alguns retoques”, tuitou o “original”.

O jornal independente Novaya Gazeta apurou que os dois supostos candidatos “dublês”, Boris Ivanovich e Boris Gennadievich, mudaram de nome pouco antes da eleição. No site da comissão eleitoral, eles aparecem como Alexey Gennadievich Shmelev e Victor Ivanovich Bykov.

Ao jornal britânico The Guardian, o político detalhou como ocorre o processo de confusão na cabeça do eleitor. “Tudo isso é feito para desorientar os eleitores, para que eles confundam o falso com o real e, em vez do verdadeiro Vishnevsky, eles votam em um dos falsos”, disse o verdadeiro Vishnevsky.

A única maneira de distinguir os três homens é pela idade – o real Boris Lazarevich Vishnevsky tem 65 anos, enquanto Boris Gennadievich Vishnevsky tem 43, e Boris Ivanovich Vishnevsky, 59 –, e pelo patronímico, derivado do primeiro nome do pai e geralmente listado na cédula.

O Vishnevsky original atribui o surgimento dos dois candidatos à sua popularidade eleitoral e falou estar confiante na capacidade dos eleitores de distingui-lo de seus sósias.

O Boris real (de gravata) e seus dois imitadores (Foto: @kuzinsergei/Reprodução Twitter)

Por que isso importa?

As eleições do dia 19 servirão para escolher os membros da câmara baixa do parlamento russo, a Duma. Serão eleitos 39 parlamentares e nove governadores regionais.

Da prisão, a principal voz contrária a Vladimir Putin, Alexei Navalny espera reduzir a margem de vitória do Rússia Unida com uma estratégia de “voto inteligente“, causando um possível constrangimento em locais como Moscou e São Petersburgo, onde o sentimento anti-governista é mais evidente na população.

A vertiginosa repressão a figuras da oposição, bem como leis eleitorais mais rígidas que excluem os aliados de Navalny, são uma tentativa de enfraquecer os oponentes do Rússia Unida.

Tags: