África

Presidente do Parlamento da Tunísia mantém cargo, mas crise continua

País vive crise política desde renúncia do premiê Elyes Fakhfakh, em 15 de julho, acusado de corrupção

O mandato do presidente do Parlamento da Tunísia, Rached Ghannouchi, sobreviveu à votação na Câmara e deve se estender até 2024. A disputa, no entanto, não foi exatamente favorável ao líder tunisiano veterano.

De acordo com a Aljazeera, ele recebeu 97 votos contrários – 12 a menos do necessário para derrubá-lo. Apenas 16 membros do Parlamento lhe deram apoio formal.

Presidente do Parlamento da Tunísia mantém cargo, mas pressão aumenta
O presidente do Parlamento tunisiano, Rached Ghannouchi (Foto: WikiCommons)

Mesmo que continue no parlamento, a pequena margem de vitória pode aprofundar as divisões políticas do país depois da renúncia do primeiro-ministro, Elyes Fakhfakh, acusado de corrupção, no último dia 15.

A Tunísia não escapou à crise social e econômica causada pela pandemia. Junto de uma crise política, acentuada nas eleições do ano passado, o governo tenta a chegar a um acordo de reformas para reduzir a dívida pública e impulsionar a criação de empregos.