Médicos alemães detalham efetividade de tratamento a veneno usado em Navalny

Equipe médica atribui recuperação de Navalny a atendimento de hospital russo logo após a intoxicação com novichok
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A equipe médica alemã responsável pela recuperação do político russo Alexei Navalny detalhou a efetividade do tratamento ao veneno novichok em um artigo publicado na revista científica The Lancet nesta quarta (23).

No estudo, os médicos do Hospital Charité, de Berlim, apontam o curso exato das comorbidades que paralisaram o principal opositor do Kremlin na viagem de retorno à Rússia após comícios eleitorais na Sibéria, em 20 de agosto.

De acordo com o artigo, Navalny apresentou dificuldades de fala e compreensão depois que saiu do coma induzido, em setembro. Os efeitos desapareceram três semanas depois e o político já recuperou grande parte das faculdades mentais.

Médicos alemães detalham efetividade de tratamento a veneno usado em Navalny
O político russo, Alexei Navalny, ainda no Hospital Charité, de Berlim, em setembrode 2020 (Foto: Facebook/Alexei Navalny)

“No 55º dia de internação, encontramos uma recuperação quase completa dos achados neurológicos, neuropsicológicos e neurofisiológicos sem evidência de polineuropatia”, diz o artigo.

O estudo conclui que os tratamentos concedidos a Navalny geraram “resultados muito favoráveis”. O antídoto atropina, dado ainda no hospital de Omsk, na Rússia, foi essencial para inibir os efeitos do veneno.

Primeiro estudo sobre o novichok

O caso clínico sobre a intoxicação por novichok é o primeiro já realizado sobre a substância. Segundo os médicos, os efeitos do tóxico são semelhantes aos dos pesticidas organofosforados, que matam mais de 100 mil pessoas por ano na Ásia.

Navalny autorizou a publicação do artigo. Em entrevista anterior, o político russo disse que tinha expectativa de se recuperar em 100%. “Mas ninguém sabe ao certo. Sou meio que uma cobaia”, disse ele à época, em sinal à falta de informações sobre o agente tóxico.

O avião em que o político estava precisou aterrissar com urgência depois que o político teve um mal súbito no dia 20 de agosto. A União Europeia impôs sanções a seis leis oficiais da Rússia ao alegar que o Kremlin planejou o ataque com veneno a Navalny.

A questão já interfere nas relações diplomáticas entre Rússia e Alemanha. O Kremlin acusa Berlim de desencadear uma “campanha de desinformação” contra o país. Moscou nega qualquer envenenamento no caso.

Tags: