Mundo

Após Nobel da Paz, Programa Mundial de Alimentos precisa de US$ 6,8 bi

Com US$ 1,6 bi em caixa, instituição quer alcançar meta até abril de 2021; em 2020, fome já matou sete milhões

Com o objetivo de diminuir a fome em áreas afetadas por conflitos e pela Covid-19, o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas tenta arrecadar US$ 6,8 bilhões até abril de 2021.

Até agora, a instituição que venceu o Prêmio Nobel da Paz em 2020 já arrecadou US$ 1,6 bilhão. “Temos muito mais dinheiro para arrecadar para garantir que evitaremos a fome”, disse o diretor executivo da organização, David Beasley.

De acordo com Beasley, sete milhões de pessoas morreram de fome em 2020. Em comparação, até esta quinta (15), a doença em decorrência da Covid-19 já matou cerca de 1,1 milhão de pessoas em todo o mundo, de acordo com o levantamento global da Universidade Johns Hopkins.

“Se não resolvermos o novo coronavírus, a taxa de mortalidade por fome pode ser até cinco vezes maior”, apontou o diretor do Programa.

Para driblar fome, Programa Mundial de Alimentos precisa arrecadar US$ 6,8 bilhões
Crianças assistidas pelo Programa Mundial de Alimentos no distrito de Yako, em Burkina Faso, em dezembro de 2019 (Foto: Unicef/Vincent Tremeau)

Para doar

O Programa Mundial de Alimentos recebe doações online neste link.

Com um forte esquema logístico e totalmente baseado em doações, o Programa se esforça para combater a insegurança alimentar, reduzir a desnutrição e combater a fome como instrumento de guerra.

Em 2019, a agência atendeu cerca de 97 milhões de pessoas em 88 países. Com fornecimento de merenda escolar para 17,3 milhões de crianças, 4,2 milhões de toneladas de alimentos foram distribuídos em 2019.