Ásia e Pacífico

Jornalista chinês que reportou Covid-19 em Wuhan reaparece após oito meses

Beijing não confirma se Chen Qiushi está preso em casa, mas informou que não responderá processo “por enquanto”

O jornalista chinês Chen Qiushi, conhecido por reportar os primeiros casos de Covid-19 em Wuhan, foi encontrado após mais de oito meses desaparecido. As autoridades detiveram o jovem em janeiro, afirmou um amigo de Chen, Xu Xiaodong, ao britânico “The Guardian“.

Segundo Xu, o jornalista está saudável, mas continua sob supervisão do governo chinês em Qindao, na costa leste do país. As autoridades teriam informado que Chen não responderá a processo judicial “por enquanto”.

Em investigação com Japão e Hong Kong, Beijing entendeu que não houve contato do jornalista com qualquer grupo de oposição do exterior.

O jornalista chinês Chen Qiushi em uma de suas últimas aparições em vídeo na cobertura do início da pandemia em Wuhan, em janeiro de 2020 (Foto: Reprodução/Twitter)

Não se sabe se Chen está em um campo de detenção ou na casa de seus pais sob vigilância das forças policiais do país. A prisão domiciliar é comum na China durante detenções de até seis meses, sem acusação.

Além de Chen, outros jornalistas foram presos por escrever sobre o surto em Wuhan. Um exemplo é Li Zehua, que desapareceu em fevereiro e só foi libertado em abril. Outro repórter é Fang Bin, que não é visto desde janeiro.

O cerco da China a jornalistas se fechou ainda mais após o início da pandemia. Desde janeiro, Beijing já expulsou 17 jornalistas estrangeiros do país. O número de profissionais que deixou o país de forma voluntária, mesmo que sob coação, não foi contabilizado.