Mundo

OIT apura mortes no trabalho no Catar em construções antes da Copa do Mundo

Análise mostra que 50 empregados perderam a vida em acidentes de trabalho em 2020, e mais de 500 ficaram gravemente feridos

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou um relatório sobre acidentes e mortes de operários no Catar, uma apuração que começou desde que o país foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de futebol, marcada para o próximo ano.

Na análise, a OIT informa que foram 50 mortes em 2020 e mais de 500 feridos graves. A maioria dos trabalhadores são migrantes de Bangladesh, Índia e Nepal. A maior parte desses casos ocorreu na indústria da construção.

OIT divulgou relatório sobre acidentes e mortes de operários no Catar desde que o país foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de Futebol (Unsplash/Josue Isai Ramos Figuer)

Estádios

Em 2010, o Catar foi escolhido pela Fifa, como sede da Copa do Mundo, e começou a produzir a infraestrutura para o evento, como estádios de futebol.

O relatório mostra que o número de ferimentos leves e moderados é de 37, 6 mil. Os casos mais frequentes e sérios são quedas de lugares altos a acidentes de trânsito seguidos de impactos por objetos que caem de locais de obra.

O relatório, “Um já é demais: a coleta e análise de dados de ferimentos de trabalho no Catar”, traça o cenário mais completo, até agora, desses acidentes e óbitos no país, com base em informações dos hospitais e de profissionais de saúde.

Transparência

A publicação é resultado de um apelo por maior transparência e prestação de contas de mortes relacionadas ao exercício da profissão no Catar, especialmente aquelas que ocorrem em projetos de infraestrutura para a Copa do Mundo.

O OIT afirma que a transparência demonstrada na análise de dados permitiu que a agência da ONU (Organização das Nações Unidas) pudesse produzir um plano de ação e uma série de recomendações para lidar com o problema.

O documento indica que existem lacunas na coleta de dados e diferenças na forma como vários Ministérios do Catar classificam os ferimentos e mortes no trabalho.

Famílias

A análise pediu melhorias na qualidade para coletar as informações e mais esforços para apurar os ferimentos e mortes que podem estar relacionados ao exercício da profissão. Esses passos também vão ajudar os trabalhadores e suas famílias a receberem compensações e indenizações devidas.

O relatório recomenda que essas investigações sejam feitas por peritos profissionais e inspetores do Ministério do Trabalho.

Já o Ministério da Saúde do Catar precisa criar uma plataforma nacional integrada com dados atualizados dos acidentes. A OIT lembrou que por trás de cada acidentes, existem o trabalhador e seus parentes.

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News