Oriente Médio

Três condenados por terrorismo são executados via pena de morte no Iraque

Execuções aconteceram na prisão de Nassíria, única a aplicar pena de morte; 11 foram enforcados em 2021

Autoridades do Iraque confirmaram a execução por enforcamento de três homens condenados por terrorismo na famosa prisão de Nassíria, no sul do país, confirmou a agência AFP na quarta-feira (3).

O centro de detenção é o único do Iraque a aplicar pena de morte. A execução foi a terceira neste ano – dados oficiais apontam que ao menos 11 condenados foram à forca em 2021.

A primeira execução ocorreu no final de janeiro, quando três homens foram executados após o duplo ataque suicida de Bagdá, que matou 32 pessoas, reivindicado pelo EI (Estado Islâmico).

Três condenados por terrorismo são executados por pena de morte no Iraque
Prisão de Nassíria, ainda à época de sua construção, em 2005, Iraque (Foto: U.S. Army/BJ Weiner)

A medida tem base em uma lei de 2005, que prevê a execução a qualquer pessoa condenada por participar de grupos extremistas. A definição vale mesmo que o acusado não tenha relação com atos específicos.

Tribunais iraquianos condenaram centenas de cidadãos à morte por integrarem o EI após a derrota do grupo, no final de 2017. Desde então, porém, poucas sentenças saíram do papel.

A aplicação passa pela aprovação do presidente do país, Barham Saleh – político que já manifestou ser contra a pena de morte. Em fevereiro, autoridades penitenciárias do Iraque divulgaram a existência de 340 ordens de execução “prontas para serem cumpridas”.

O índice envolvia condenados por terrorismo ou atos criminosos. A grande maioria dos decretos ocorreu antes de Saleh se tornar presidente, em 2018. Apesar da moderação, o Iraque ficou entre os países que mais executou condenados em 2019.

O país do Oriente Médio só ficou atrás de China, Irã e Arábia Saudita, conforme a Anistia Internacional. Sem registros públicos para 2020, fontes judiciais estimam 30 execuções de condenados no último ano.