Américas

Encontro entre EUA e Austrália é marcado por críticas à China

Entraram na pauta questões como Hong Kong, violações contra a minoria uigur e Mar da China Meridional

A edição de 2020 da reunião anual entre ministros da Defesa e das Relações Exteriores de Austrália e Estados Unidos nesta terça (28) foi marcada por críticas a China em questões como Hong Kong, violações contra a minoria uigur e as disputas no Mar da China Meridional.

O encontro ocorreu em Washington (EUA) com os secretários norte-americanos de Estado, Mike Pompeo, e de Defesa, Mark Esper, e suas homólogas australianas, as ministras Marise Payne, e Linda Reynolds, respectivamente.

No comunicado conjunto, os dois países se dizem preocupados com tentativas da China de “corroer” a autonomia de Hong Kong. A lei de segurança nacional aprovada pelos chineses teria “minado os direitos de liberdade de expressão e de reunião pacífica”.

A repressão contra a minoria muçulmana uigur também foi pauta da reunião. Mais uma vez, os dois países apontaram preocupação com as alegações como detenções em massa, trabalho forçado e controle de natalidade.

Encontro entre EUA e Austrália é marcado por críticas à China
EUA e Austrália se reúnem para reunião conjunta nesta terça (28) em Washington (Foto: Freddie Everett/Departamento de Estado dos EUA)

Com apoio dos australianos, os EUA voltaram a criticar a atuação chinesa no Mar da China Meridional. Ambos afirmam não haver base para as reivindicações marítimas feitas pela China na região.

A ministra das Relações Exteriores australiana Marise Payne afirmou que o país não tem intenções de prejudicar a relação com Beijing. “Mas também não pretendemos tomar ações contrárias aos nossos interesses”, disse.

Pompeo aproveitou para elogiar os australianos por exigirem uma investigação independente sobre a origem do novo coronavírus. O pedido gerou nos últimos meses aumento da tensão entre Canberra e Beijing.