Américas

Governo de El Salvador têm custeado campanhas para atacar jornalistas

Mais de 60 ataques promovidos pelo Executivo de El Salvador foram registrados no primeiro ano de mandato de Bukele

Plataformas criadas com fundos públicos estão sendo usadas para atacar jornalistas e veículos de comunicação em El Salvador, aponta denúncia da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa).

A organização denunciou que a imprensa local vem sendo atacada desde a eleição do presidente, Nayib Bukele. Mas as investidas se intensificaram durante a pandemia.

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, no púlpito da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York (EUA), em 2019 (Foto: UN Photo/Laura Jarriel)

Os meios digitais são utilizados para criação de contas falsas em redes sociais, com calúnias, ameaças e ataques a veículos de comunicação.

Ocorrências já foram registradas pelos jornais La Prensa Gráfica e El Diario de Hoy, além dos sites El Faro e Revista Factum.

Profissionais sofrem com o bloqueio seletivo de informações públicas e uso de contas inautênticas, que ofendem e negam o trabalho dos jornalistas.

Durante o primeiro ano do governo de Bukele, foram registrados mais de 60 ataques do Poder Executivo, incluindo de funcionários e forças de segurança, contra jornalistas.