Grupos acusam aumento de intimidação contra opositores na Indonésia

Ataques ocorrem em meio à julgamento de sete papuásios que participaram de protestos anti-racistas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Grupos de direitos humanos da Indonésia reclamam do aumento nas intimidações e nas ameaças à segurança de críticos do governo e ativistas na região. A informação é da agência de notícias Reuters.

Entre as demandas cobradas pelos ativistas estão a independência ou pelo menos uma maior autonomia da região de Papua em relação à Indonésia.

O aumento das intimidações ocorre em meio ao julgamento de sete ativistas da Papua Ocidental, província na Nova Guiné, por traição. Os acusados teriam participado de protestos anti-racistas em agosto do ano passado.

No último dia 17, eles foram condenados a penas entre 10 e 11 meses de prisão.

As manifestações de 2019 ocorreram após estudantes de Papua Ocidental terem sido sofrido agressões verbais em um dormitório universitário em Java, uma ilha da Indonésia. Eles teriam sido chamados de “macacos”, “porcos” e “cães”.

Grupos acusam aumento de intimidação contra opositores na Indonésia
Protesto por independência em Papua Ocidental (Foto: Free West Papua/Reprodução)

Alguns dos protestos acabaram se tornando violentos e lojas e prédios governamentais foram incendiados.

Ativistas traçaram paralelos entre os julgamentos de traição e o movimento Black Lives Matter, dos Estados Unidos, tornando viral a #PapuanLivesMatter (a vida dos papuásios importa, em português).

A advogada dos sete condenados afirma ter sido atacada na última semana por um motociclista que lhe deu um soco.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Indonésia afirmou à Reuters que “não há lugar para racismo no país” e que os incidentes de maus-tratos são isolados.

Tags: