Opas recomenda “extrema cautela” para diminuir confinamento por Covid-19

Mudanças devem ser precedidas de maior oferta de testes contra doença e leitos em UTIs
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Medidas para flexibilizar o distanciamento social durante a pandemia de Covid-19 devem ser tomadas com “extrema cautela”, acompanhadas de apoio às populações vulneráveis, afirmou Carissa Etienne, diretora da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), em coletiva nesta terça (14).

Aprimorar o sistema de saúde, com aumento da oferta de leitos e de testes, e de auxílio social, deve preceder qualquer tentativa de reabrir comércios ou escolas, segundo a diretora da Opas.

Etienne observou que o contágio ainda não seu pico na América Latina e Caribe, o que deve acontecer nas próximas semanas. Para a médica, “o aumento de hospitalizações e mortes que vemos em alguns países destaca a velocidade com que a situação pode mudar em outros países”.

Opas alerta contra flexibilização do isolamento
Carissa Etienne, diretora da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), fala em conferência em 2018 (Foto: UN Photo)

A Opas teme que a suspensão de medidas de confinamento gere uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus.

O número de países que tem registrado transmissão comunitária, ou entre duas pessoas que não viajaram nem tiveram contato com quem esteve no exterior tem aumentado na região, explicou Etienne.

Entre 21 de março e 14 de abril, EUA, Brasil, Peru e Argentina passaram da transmissão local, quando um recém-chegado de outro país passa a doença, para a comunitária. O México, no mesmo período, deixou de ter apenas casos importados e agora também registra transmissão comunitária.

Há 1,8 milhão de casos confirmados do novo coronavírus no mundo e 644 mil nas Américas, segundo o boletim desta terça da OMS (Organização Mundial da Saúde). Dos 117 mil mortos, 25,5 mil são do continente americano.

Tags: