IFJ exige investigação a assassinato de jornalista no Camboja

Polícia do Camboja afirma que jornalista sofreu acidente de moto, mas câmeras registraram espancamento
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A IFJ (Federação Internacional de Jornalistas, em inglês) exigiu que as autoridades de Camboja investiguem a morte do jornalista Koy Piseth.

Moradores encontraram o corpo do repórter televisivo de 24 anos no dia 29 de setembro junto de sua moto acidentada na capital do país, Phnom Penh, informou a organização.

Enquanto a polícia afirma que Piseth sofreu um acidente, imagens de uma câmera de videomonitoramento revelam que o jornalista foi espancado até a morte. O agressor ainda não foi identificado.

IFJ exige investigação a assassinato de jornalista em Camboja
Crachá de Koy Piseth foi encontrado junto ao corpo do jornalista no dia 29 de setembro, em Camboja (Foto: Reprodução/Cambodia Expats Online)

A morte ocorre em um momento tenso para os profissionais da imprensa no país asiático.

No dia 28, outro ataque deixou quatro jornalistas feridos na província de Tbong Khmum. A perseguição ocorreu depois que os profissionais noticiaram crimes florestais no distrito.

“A IFJ apela ao governo cambojano para estabelecer proteções mais fortes e garantir a segurança dos jornalistas”, pediu o secretário-geral da organização, Anthony Bellanger.

Mergulhado em denúncias, o governo de Camboja se utiliza da pandemia para repreender a imprensa independente do país e políticos da oposição.

Pelo menos dois jornalistas estão detidos por críticas ao primeiro-ministro, Hun Sen. O Comitê para a Proteção de Jornalistas solicita a soltura desde junho, mas não recebe resposta desde então.

Tags: