EUA impõem sanções ao presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov

Grupos de defesa dos direitos humanos o acusam de tortura, sequestros e assassinatos extrajudiciais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Os Estados Unidos impuseram nesta segunda (20) sanções ao presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, por violações de direitos humanos. Fiel aliado de Vladimir Putin, ele lidera a república russa desde 2007.

São ligados a ele casos de tortura, sequestros e assassinatos extrajudiciais. A medida também vale para a esposa e as duas filhas de Kadyrov.

Denúncias de grupos internacionais de defesas dos direitos humanos incluem ainda repressão contra gays, com mais de 100 pessoas presas. Muitos foram submetidos a torturas e até mortos, segundo a agência de notícias Associated Press.

EUA impõe sanções ao presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov
Presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov (Foto: Kremlin/Reprodução)

Em sua declaração, o secretário de Estado Mike Pompeo afirmou que os EUA tem “amplas informações confiáveis” sobre a responsabilidade de Kadyrov em inúmeras “violações grosseiras” de direitos humanos há mais de uma década.

A Rússia tem confiado no líder da Chechênia para estabilizar o território. Desde as duas guerras separatistas, em 1994 e 1999, Moscou age por meio de Kadyrov oferecendo generosos subsídios e rejeitando críticas internacionais em relação ao governo.

O Kremlin também apoiou Kadyrov em meio às alegações de seu envolvimento no assassinato de Boris Nemtsov, político da oposição russa, em 2015.

Tags: