Mundo

OMS alerta para o risco de nova pandemia e vê falhas no sistema global de prevenção

Estudo recomenda uma ação imediata para colocar em prática um pacote de reformas internacionais interligadas e, assim, impedir um surto futuro

Os esforços globais para reformar o sistema de combate a pandemias têm caminhado num ritmo lento demais. A afirmação foi feita na segunda-feira (22) durante um painel independente sobre o tema organizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Apresentando as conclusões de estudos feitos nos últimos seis meses, Helen Clark, ex-primeira-ministra da Nova Zelândia, e Ellen Johnson Sirleaf, ex-presidente da Libéria, alertaram que o progresso “desigual” no tratamento da pandemia Covid-19 continua a causar doenças, mortes e perdas econômicas.

As duas líderes convocaram chefes de Estado e de Governo a se unirem por progressos mais rápidos, alertando que já é necessário se preparar para a próxima ameaça global à saúde humana.

Ao avaliar o progresso feito desde maio passado, no caso da Covid-19, o relatório cobriu as áreas de liderança e governança, financiamento, equidade, um novo instrumento legal e uma OMS mais forte. O relatório observou que mais 90 milhões de pessoas contraíram Covid-19, e 1,65 milhão morreram.

Unidade de tratamento intensivo exclusiva de pacientes com Covid-19 em Mumbai, na Índia, em maio de 2021 (Foto: Unicef/Bhushan Koyande)

Após o mergulho profundo nas respostas a coronavírus, ação imediata foi recomendada para um pacote de reformas internacionais interligadas para impedir um surto futuro. “Dada a escala da devastação desta pandemia e seu impacto contínuo sobre as pessoas em todo o mundo, o Painel decidiu documentar totalmente o que aconteceu e por quê, e fazer recomendações ousadas para mudanças”, disse Clark.

Infelizmente, a desigualdade da vacina mudou muito pouco. E, nos países mais pobres, menos de 1% da população está totalmente vacinada. Embora os países ricos tenham prometido doações publicamente, Sirleaf observou que “apenas uma fração das doses redistribuídas foi realmente entregue”.

O painel observou que o Conselho Global de Ameaças à Saúde deve alocar e monitorar o financiamento de um novo mecanismo que apoie a preparação e as respostas à pandemia.

São necessários pelo menos US$ 10 bilhões em novos financiamentos anualmente e até US $ 100 bilhões em um pool de financiamento de resposta a uma ameaça de pandemia, segundo o relatório.

“Nossa mensagem é simples e clara: o sistema atual falhou em nos proteger da pandemia Covid-19”, disse Sirleaf. “E, se não agirmos para mudá-lo agora, isso não nos protegerá da próxima ameaça de pandemia, que pode acontecer a qualquer momento”.

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente em inglês pela ONU News