Coronavírus

ONU: Um terço dos destinos turísticos do mundo está fechado para conter Covid

Enquanto o Brasil fechou fronteiras parcialmente, Cabo Verde e Guiné-Bissau exigem quarentena e teste PCR

Este conteúdo foi publicado originalmente pela agência ONU News, da Organização das Nações Unidas

Um terço dos 217 destinos turísticos em todo o mundo está fechado para visitantes internacionais, disse a OMT (Organização Mundial do Turismo). Entre os lusófonos, a restrição total está vigor em Angola e Timor Leste.

Pouco mais da metade está nessa situação há pelo menos 40 semanas, revela a nova edição do Relatório de Restrições de Viagem. 

Brasil está entre os 73 destinos turísticos que fecharam as fronteiras de modo parcial. A nação tem no turismo 5% a 10% do PIB (Produto Interno Bruto) total. Outras 80 economias globais compartilham do mesmo percentual no setor.

ONU: Um terço dos 217 destinos turísticos do mundo está fechado para conter Covid
Soldado supervisiona área turística do Museu do Louvres, em Paris, França, dezembro de 2020 (Foto: FMI/Cyril Marcilhacy)

Moçambique e Portugal integram o grupo de 60 destinos que exigem mais de uma medida para controlar a entrada de turistas. Já Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe estão entre os 70 locais para viajar que exigem quarentena e o exame de PCR.

Cinco destinos de viagem levantaram todas as restrições devido à Covid-19: Albânia, Costa Rica, República Dominicana, Macedônia do Norte e Tanzânia. Juntos, eles correspondem a 2% do total dos lugares para viajar no mundo.  

Variantes  

A nova pesquisa realça que as restrições devido à pandemia sufocam o turismo. Os fechamentos são mais comuns nas regiões da Ásia e Pacífico, com 30 países, e na Europa com 15. As novas variantes da Covid-19 levaram os governos a fechar as portas aos turistas internacionais. 

Para o secretário-geral da OMT, Zurab Polilikashvili, as restrições de viagens ocorrem para restringir a disseminação do vírus. No momento atual, porém, enquanto se atua para o reinício do turismo, é preciso reconhecer que estas são apenas uma parte da solução. 

O representante defende medidas baseadas em dados e análises mais recentes. A revisão, contudo, deve ser consistente para permitir o reinício seguro e responsável de um setor do qual muitos milhões de empresas e empregos dependem.