Compra de armas dos Emirados Árabes nos EUA é provável, diz jornal de Israel

Diplomata de Abu Dhabi teria afirmado que Israel não deve se opôr a acordo de armas com EUA "se e quando" acontecer
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Mesmo após oposição pública de Israel à possibilidade de os Emirados Árabes comprarem armas – em especial jatos F-35 – dos EUA, há chances de que isso aconteça, informou o jornal israelense “The Jerusalém Post“, na quarta (19).

De acordo com o diário, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não deveria se assustar se os Emirados Árabes esperassem obter “algumas armas” com o recente acordo de paz assinado entre os países no dia 13.

À reportagem, um diplomata não identificado dos Emirados Árabes teria afirmado que espera que Israel não se oponha a qualquer acordo entre Abu Dhabi e Washington “se e quando” ocorrerem.

Compra de armas dos Emirados Árabes nos EUA é provável, diz jornal de Israel
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Jerusalém, em março de 2019 (Foto: Palácio do Planalto/Alan Santos)

Para a fonte, a ameaça em comum do Irã pode ser um “bom negócio para todos”. Um incentivo extra para os EUA é a capacidade de aquisição dos Emirados Árabes, que poderia pagar bem pelo armamento.

O Egito teve o seu exército modernizado pelo governo norte-americano depois de assinar o acordo de normalização das relações com Israel, em 1979. A Jordânia também teria recebido jatos F-16 logo após o acordo com o Estado judeu, em 1994.

Na terça (18), Netanyahu declarou que o acordo com o país do Golfo não inclui a permissão para a compra das aeronaves.

O primeiro-ministro mostrou um relatório sobre suas objeções à compra junto do embaixador norte-americano, Ron Dermer.

O objetivo é deixar claro que Washington tem conhecimento da diligência do país. Fontes na Casa Branca, no entanto, já afirmaram que tudo no acordo é público e não há “anexos secretos” sobre vendas de armas.

Tags: