No Iraque, 80% das vítimas de suicídio são mulheres

Problema já não pode ser ignorado, dizem autoridades; em 2018, Iraque registrou três tentativas de suicídio por dia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

As autoridades do Iraque chamam atenção para um dado alarmante: 80% das vítimas de suicídio do país são mulheres. O alerta vem da Organização das Nações Unidas (ONU).

Dados computados em 2018 mostram que o público feminino concentra 80% das mais de 1,1 mil tentativas de suicídio registradas no Iraque. Naquele ano, 590 pessoas morreram dessa forma. Há, ao menos, uma morte e três tentativas diárias.

“A situação se agravou e não pode ser ignorada”, disse um comunicado da Organização Mundial da Saúde (OMS) no local. Segundo a agência, a questão é prioritária neste país com 39 milhões de habitantes.

Entre os principais motivos estão os recentes traumas e doenças mentais ocasionadas pelos conflitos e severas dificuldades econômicas que assolam a região.

No Iraque, 80% das vítimas de suicídio são mulheres
Mulher em campo de refugiados da ONU no Iraque, após ser capturada pelo Estado Islâmico, em 2019 (Foto: UN Photo/Giles Clarke)

Caos social aprofunda depressão

Desde o fim da disputa com o Irã, em 1988, o Iraque viu poucos momentos de paz. Em 1991, o país viveu a guerra do Golfo e, em 2003, a invasão norte-americana. A situação se agravou, ainda mais, desde 2010 com a Guerra Civil na vizinha Síria e o surgimento do Estado Islâmico. Entre 2014 e 2017, milhões deixaram suas casas e se refugiaram em países próximos.

Os abusos de menores, abandono, violência e altas taxas de criminalidade são um fator extra às mortes por suicídio. Com a pandemia, a situação tende a se agravar, por conta do confinamento social e as restrições econômicas mais profundas.

Tags: