Américas

EUA acusa Rússia por invasão maciça em sistema SolarWinds

Empresa texana é a desenvolvedora de sistemas de segurança governamentais dos EUA e do Reino Unido

A Rússia orquestrou e realizou o recente ataque ao sistema da texana SolarWinds, de acordo com comunicado do governo dos EUA divulgado na terça (5).

A empresa coordena a ferramenta Orion – sistema de segurança com 300 mil clientes, incluindo agências governamentais dos EUA e Reino Unido.

Os hackers teriam acessado as caixas de entrada depois que assumir o controle da chave criptográfica usada pela infraestrutura de “login único” do Tesouro. Ainda não se sabe quantas e quais informações foram acessadas.

Em comunicado conjunto, quatro agências da inteligência dos EUA disseram ter identificado pelo menos dez setores federais afetadas pela ação de hackers.

EUA acusa Rússia por invasão maciça em sistema SolarWinds
Estande da empresa texana SolarWinds em feira de tecnologia em Orlando, nos EUA, em junho de 2018 (Foto: Facebook/SolarWinds)

Apesar de ainda não identificados, funcionários disseram ao jornal “The Wall Street Journal” que criminosos vasculharam os departamentos de Estado, Comércio e Energia. Os hackers operaram por duas semanas antes de serem descobertos.

“Um grupo de hackers, provavelmente de origem russa, é responsável pela maioria ou todos os comprometimentos cibernéticos descobertos nas redes dos EUA nas últimas semanas”, disse a nota do FBI (Departamento Federal de Investigações dos EUA, em inglês).

A ação, incólume por duas semanas, garantiu acesso a dados privados de pelo menos 425 dos 500 principais empresários dos EUA. Estão inclusas as principais empresas contábeis e os maiores provedores de telecomunicações dos EUA.

O Kremlin negou envolvimento no ataque. O presidente Donald Trump minimizou a violação e levantou a hipótese de que a China esteja por trás da invasão.