Bangui, capital da República Centro-Africana, sofre tentativa de invasão

Um soldado foi morto e outro ficou ferido após ataque, que ocorre em protesto à reeleição do atual presidente
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A capital da República Centro-Africana, Bangui, foi alvo de uma tentativa de invasão de rebeldes nesta quarta (13). O embate causou pânico e só terminou após a intervenção das forças de segurança, informou a Reuters.

Tropas de Ruanda, da Rússia, da França e da ONU (Organização das Nações Unidas) repeliram os ataques. Um soldado de Ruanda foi morto e outro ficou ferido no confronto. O primeiro-ministro Firmin Ngrebada estimou a morte de cerca de 30 rebeldes.

O ataque ocorreu em protesto à reeleição do presidente Faustin-Archange Touadéra, anunciada no dia 4. Antes de tentar invadir a capital, os rebeldes já haviam tomado cidades em outras partes do país.

Soldados repelem rebeldes após invasão a Bangui, na República Centro-Africana
Soldados após os ataques de rebeldes à capital da República Centro-Africana, Bangui, em janeiro de 2021 (Foto: Minusca)

Moradores relataram ao “Washington Post” ter ouvido fortes barulhos de tiros durante toda a manhã. O porta-voz da coalizão rebelde, Abakar Sabone, acusou o governo de orquestrar o caos.

“Devemos proteger nosso país, defender os interesses deste país. Se for sobre guerra, temos armas. Touadéra abusou da confiança do povo”, disse, ao reivindicar que o presidente assine um acordo com os rebeldes.

Resultado em discussão

A disputa sobre Bangui ocorre dias antes de o Tribunal Constitucional decidir sobre a validade das eleições realizadas em 27 de dezembro. A oposição reivindica um novo pleito e alega diversas irregularidades.

O ex-presidente François Bozizé é acusado de incitar a violência depois que a Corte rejeitou sua candidatura em dezembro. Ex-general e chefe do exército, Bozizé está sob sanções da ONU e sujeito a um mandado de prisão por crimes contra a humanidade.

Desde a sua deposição, por uma coalizão rebelde de muçulmanos do norte do país em 2013, a República Centro-Africana vive combate interreligiosos e interétnicos.

A ONU estima que 80 mil centro-africanos já cruzaram a fronteira com os vizinhos Chade, Camarões, Congo e República Democrática do Congo no último mês. Outras dezenas de milhares se tornaram deslocados internos. 

Tags: