Cresce número de acidentes fatais com minas terrestres e explosivos no Sahel

Chade e Nigéria estão no topo dos países mais afetados, segundo dados da agência da ONU para refugiados
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Cresceu em 2020 o número de acidentes fatais com minas terrestres e dispositivos explosivos envolvendo refugiados internos nas regiões em conflito do Sahel e do Chade, na África.

Chade e Nigéria estão no topo dos países mais afetados na bacia do lago Chade. O levantamento foi feito pelo Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados).

No incidente mais recente, em junho deste ano, quatro crianças refugiadas entre 9 e 12 anos foram mortas e outras três ficaram gravemente feridas ao tentarem abrir um dispositivo explosivo.

No nordeste da Nigéria, cerca de 230 pessoas foram mortas por esses dispositivos e mais de 300 ficaram feridas no ano passado. Mais de 15 incidentes foram relatados em 2020.

Cresce número de acidentes fatais com minas terrestres e explosivos no Sahel e Chade
Crianças deslocadas em assentamento no Níger (Foto: Amanda Nero/IOM)

Entre janeiro e maio deste ano, pelo menos 42 civis foram mortos no Mali, onde foram registrados 82 acidentes envolvendo esses dispositivos.

O Sahel, formado por Burkina Faso, Chade, Mali, Mauritânia e Níger, enfrenta uma das piores crises de deslocamento do mundo. Há milhões de pessoas fugindo da violência de grupos armados, alguns extremistas.

A ação dos insurgentes começou em 2012, em Mali, durante uma rebelião de separatistas tuaregues que foi tomada pelos jihadistas. Apesar das tentativas de conter os extremistas, o conflito se espalhou pelos países vizinhos, gerando rixas entre grupos étnicos.

Tags: