Emboscada mata 11 policiais e deixa quatro desaparecidos em Burkina Faso

Homens armados invadiram unidade policial de Yirgou, cidade palco de um massacre jihadista em 2019
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Uma emboscada matou 11 policiais e deixou quatro desaparecidos em Yirgou, ao norte de Burkina Faso, na segunda (21). Homens armados teriam invadido uma unidade policial e atirado contra os agentes, reportou o “New York Post”.

O ministro de Segurança do país africano, Ousseini Compaore, anunciou que as forças de segurança já estão atrás dos responsáveis. “Operações de busca conjunta com o exército estão em andamento desde ontem”, disse.

O ataque ocorre em meio à escalada de violência no Sahel africano. No dia 6, militantes atacaram a vila de Solhan, na mesma região, durante à noite. Mais de 160 civis foram mortos. Nenhuma organização extremista assumiu os ataques à região até o momento.

Emboscada mata 11 policiais e deixa quatro desaparecidos em Burkina Faso
Casa incendiada após massacre de Yirgou, Burkina Faso, em janeiro de 2019 (Foto: Divulgação/VOA Africa)

Além da emboscada mais recente, Yirgou já havia sido palco de um massacre em janeiro de 2019, quando uma insurgência jihadista de Burkina Faso invadiu o vilarejo e matou mais de 200 pessoas.

Um dos países mais pobres do mundo, Burkina Faso luta contra grupos ligados à Al-Qaeda e ao Estado Islâmico desde que extremistas armados dominaram partes do vizinho Mali, em 2015.

crise de segurança que se aprofunda no país africano já forçou o deslocamento de mais de um milhão de pessoas desde 2019. Grupos extremistas se espalharam pelo Sahel africano após dominarem grandes partes do norte do Mali em 2012 e 2013.

O combate envolve ainda tropas do Chade, Mauritânia e Níger, com o apoio de tropas francesas. Paris mantém 900 soldados em uma base militar na ex-colônia francesa. Outros 5,1 mil agentes atuam na Operação Barkhane – missão anti-jihadista lançada no Sahel em 2014.

Tags: