Nas ilhas Maurício, navio com três mil toneladas de óleo pode se romper em dois

Desastre causado pela embarcação, encalhada na pequena nação insular no Índico, pode devastar a economia local
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Um navio encalhado nas Ilhas Maurício, na África Oriental, corre risco de romper e agravar ainda mais o desastre ambiental causado por um vazamento de petróleo na região.

De acordo com o jornal britânico “The Guardian”, mais de mil toneladas de combustível já vazaram de um cargueiro japonês desde a semana passada. Ainda há 2,5 mil toneladas de óleo a bordo.

Manchas de petróleo são vistas de longe na água antes cristalina das Ilhas Maurício (Foto: Twitter/Pravind Jugnauth)

O graneleiro japonês MV Wakashio está encalhado desde 25 de julho, quando esbarrou em um recife no sudeste do país, no Oceano Índico.

O primeiro-ministro do país insular, Pravind Jugnauth, afirmou que as equipes conseguiram conter o vazamento por enquanto, mas as expectativas não são otimistas. “As rachaduras cresceram e o risco de o barco se partir ao meio existe”, apontou.

Especialistas alertam que uma nova ruptura pode ser catastrófica ao já frágil ecossistema costeiro, do qual as Ilhas Maurício dependem quase que exclusivamente.

Para evitar que a mancha se espalhe ainda mais, milhares de voluntários se reúnem diariamente na costa para tentar conter a maré oleosa.

No domingo (9), o Japão afirmou que enviará especialistas para auxiliar na emergência. A França já despachou um navio, uma aeronave militar e diversos técnicos ao território ultramarino da Ilha de Reunião, a 220 quilômetros, para contenção de danos.

Tags: