No Sudão, 100 mil sofrem impactos de fortes enchentes em todo o país

Enchentes já destruíram 1,2 mil casas e ameaçam comprometer barragem de captação de água no leste do país
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

As fortes chuvas que atingem o Sudão desde julho já impactaram cerca de 100 mil pessoas. No domingo (2), o vento forte destruiu casas e plantações e deixou cerca de quatro mil pessoas desabrigadas.

Os estados de Cartum, Nilo Azul e Rio Nilo, no leste do país, são os mais prejudicados. No Nilo Azul, as estradas estão intransitáveis e a área só pode ser acessada por helicóptero.

Em nota, o Escritório das Nações Unidas para Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha), registrou que mais de 1,2 mil casas foram danificadas ou destruídas.

No Sudão, cerca de 100 mil pessoas são impactadas por chuvas fortes
Moradores da região de Nilo Azul recebem donativos após temporal (Foto: Unicef Sudão)

Um colapso na barragem local deve comprometer o acesso à água para mais de 80 mil pessoas que vivem no entorno do Rio Nilo.

De acordo com o informe, vários hectares de plantações foram comprometidos e cerca de 150 animais mortos, o que aumenta a insegurança alimentar para os próximos meses.

Mortos e deslocados

Danos significativos também foram registrados nas regiões da ilha de Gezira, Cordofão Ocidental e Darfur do Sul.

De acordo com a mídia local, seis pessoas teriam morrido após uma violenta tempestade no dia 28, na área de Kogeila, em Gezira. Na metade de julho, fortes chuvas e inundações atingiram cerca de 16 mil deslocados nos campos de Otash, Dereige e Mosey, na cidade de Nyala, no Darfur do Sul.

Com previsão de chuvas acima da média nos próximos dias na maior parte do país, o aumenta o risco de uma piora da situação.

Tags: