Américas

Atividade econômica peruana despenca em abril, com maior queda da história

Em abril, a contração foi de 40,49% ante mesmo mês de 2019; desde janeiro, o baque no PIB foi de 13,1%

A atividade econômica do Peru registrou contração de 40,49% em abril ante o mesmo mês de 2019. Trata-se da pior queda percentual da história do país, informou o governo nesta segunda (15).

Segundo a agência de notícias Reuters, todas as indústrias mais importantes do país — como pesca, mineração, construção e manufatura — registraram queda. Desde janeiro deste ano, a economia do Peru já encolheu 13,10% ante 2019.

As quedas registradas em abril foram mais severas que as previstas pelos especialistas, que estimavam uma contração de 33%. O setor de mineração e hidrocarbonetos, que representa 60% do total das exportações do país, caiu 42,29% em abril, em comparação ao mesmo período do ano passado.

Em maio, o governo permitiu que as minas do país retomassem as operações em maior escala, o que aumenta a esperança de uma recuperação da produção para o mês.

Um relatório divulgado pela Unctad (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) nesta terça (16) aponta que as exportações do Peru caíram 56% em abril, enquanto as importações encolheram 33%.

No primeiro trimestre deste ano, os economistas da ONU apontaram para uma queda de 8% nas importações peruanas e 11% nas exportações.

Peru registra a pior queda para o PIB na história do país
Porto de Callao, o principal ponto de saída das exportações peruanas (Foto: Wikimedia Commons)

Estímulo

O presidente Martín Vizcarra afirmou que irá impulsionar um programa de obras públicas para criar mais de um milhão de empregos. O governo também já prometeu um amplo pacote de estímulos de quase 17% do PIB.

Entre março e maio, o desemprego no Peru chegou a 13,1%. Só na capital Lima, de 9,5 milhões de habitantes, cerca de 2,3 milhões de pessoas já perderam o emprego.

Até esta quarta (17), o Peru registrou 232 mil casos confirmados do coronavírus e 6,8 mil mortes, segundo dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde).