Pandemia criará novo paradigma alimentar, diz professor do Insper

Monitorar cadeias de suprimento e comércio internacional são sugestões de pesquisador Marcos Sawaya Jank
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Se a paralisação econômica pós-pandemia evoluir para uma crise de segurança alimentar, o resultado nos países em desenvolvimento pode ser instabilidade política e social. O alerta é de Marcos Sawaya Jank, pesquisador na área de agronegócio.

A saída para os governos é monitorar cadeias de suprimento e eventuais rupturas no comércio internacional, afirma Jank, professor do Insper e da Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz).

Neste cenário de pandemia, o Brasil deve manter seu protagonismo histórico no abastecimento mundial e considerar também exportações para países vulneráveis, como os africanos.

Preço global dos alimentos cai 4,3% em março, ante fevereiro
Agricultor colhe arroz no Vietnã (Foto: Philippe Berry, IFPRI/USAID)

O controle sanitário ganhará importância, aponta Jank. Será preciso eliminar mercados onde há abate de animais vivos, sem armazenamento adequado, para evitar doenças como a que causou a atual pandemia.

O especialista conversou com a Rede Brasil do Pacto Global, da ONU.

Webinar “Covid-19 e Agricultura: como a produção agrícola e a distribuição de alimentos serão impactadas?” (Vídeo: YouTube)

Tags: