Cidadão alemão é julgado por espionar o Parlamento para o serviço secreto russo

O suspeito é acusado de entregar mais de 300 arquivos de plantas de prédios usados ​​pelo Bundestag a um suposto adido militar russo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A Justiça de Berlim iniciou nesta quarta-feira (1°) o julgamento de um funcionário de uma empresa de segurança acusado de entregar plantas de prédios do Parlamento alemão aos serviços secretos russos,informou a emissora France24. O caso contribuiu para o agravamento das já estremecidas relações entre Berlim e Moscou.

O suspeito, identificado apenas como Jens F., 56 anos, é acusado de espionagem após ter entregado um CD-Rom contendo mais de 300 arquivos de plantas de prédios usados ​​pelo Bundestag a um suposto adido militar da embaixada russa. O fato ocorreu em 2017.

A acusação acredita que o receptor, o representante militar diplomático no cargo naquela época, se tratava de um oficial do Departamento Central de Inteligência russo (GRU). Já o réu prestava serviços a uma empresa de segurança contratada pelo parlamento alemão. Ele se manteve em silêncio na abertura do julgamento.

Prédio do Bundestag, parlamento da República Federal da Alemanha (Foto: Jorge Royan/Wikimedia Commons)

O tribunal revelou que um acordo judicial foi oferecido ao suspeito, com uma pena de prisão de 20 meses a dois anos, mas que não foi aceita.

Jens F. chegou ao tribunal aconselhado pelo seu advogado a não se declarar culpado, já que não existiriam provas de que ele havia repassado informações aos russos.

A defesa do réu ainda alega que o caso da promotoria é baseado na vida pregressa de seu cliente, que já foi oficial do exército na ex-Alemanha Oriental comunista.

O caso deve ser ouvido pelo tribunal no decorrer do mês de setembro.

Ex-agente da Alemanha Oriental

Sem revelar fontes, a revista alemã Spiegel informou queJens F. é um ex-oficial da 9ª divisão de tanques do exército da Alemanha Oriental. Ele teria trabalhado para a temida polícia secreta Stasi no período de 1984 a 1990, aponta a publicação.

O caso surge em um momento de relações conturbadas entre Berlim e Moscou por conta de seguidos casos de espionagem, do envenenamento e prisão do crítico do Kremlin Alexei Navalny e de frequentes ataques cibernéticos disparados contra países ocidentais por hackers russos.

Tags: