Mundo

Índia, China e Indonésia são os países que mais despejam plástico nos oceanos

Brasil vem em seguida, no 4º lugar, seguido da Tailândia, México e Egito; EUA, Japão e Reino Unido completam o ranking

Um relatório recente da empresa britânica Raja apontou que Índia, China e Indonésia são os três países que mais despejaram plástico nos oceanos em 2020.

Só a Índia, que lidera a lista, descartou cerca de 126,5 milhões de quilos de plástico nas águas. O peso equivale a mais de 250 mil golfinhos nariz de garrafa, uma das espécies mais comuns no oceano.

Em seguida está a China, que despejou mais de 70,7 milhões de quilos, e a Indonésia, com 56,3 milhões de quilos de plástico lançados em seus mares em 2020. O Brasil fechou o ano em 4º lugar por despejar 38 milhões de quilos de resíduos plásticos nos oceanos.

Índia, China e Indonésia são os que mais despejam plástico nos oceanos no mundo
Plástico acumulado em praia da Noruega, agosto de 2012 (Foto: Divulgação/Bo Eide)

A diferença para o 5º e o 6ª lugares chama a atenção. Enquanto a Tailândia lança 22,8 milhões de quilos de plástico nos mares, o México descarta 3,5 milhões. O Egito, logo em seguida, deixa 2,5 milhões de quilos de resíduos plásticos escoarem para os oceanos.

Os últimos colocados da lista de dez países mais poluidores integram o G-7. São os EUA, com 2,4 milhões de quilos de plástico descartados desta forma, o Japão, com 1,8 milhão, e o Reino Unido, com 703 mil.

Produtor x poluidor

O posto de maior produtor de plástico do mundo, porém, pertence aos EUA. O país produz o dobro da quantidade de lixo plástico que a Índia – cerca de 42 bilhões de quilos –, mas apenas 2,4 milhões de quilos vão parar nos oceanos.

A maior parte dos resíduos vai para países com sistemas de gerenciamento inadequados – como a própria Índia – e outros locais com tratamentos mais avançados, incluindo Canadá, Coreia do Sul e Taiwan.

Só em 2018, os EUA exportaram 157 mil contêineres cheios de resíduos plásticos. A métrica equivale a cerca de 1,07 milhão de quilos de plástico, conforme a organização Plastic Pollution Coalition. Ao enviar os resíduos para o exterior, o país pode alegar que reciclou seus descartes.