Coalizão internacional identifica túnel usado por extremistas no Iraque

Estrutura construída por militantes do Estado Islâmico foi encontrada durante ofensiva contra extremistas no Iraque
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

A coalizão internacional chefiada pelos EUA identificou um grande túnel usado por extremistas na província de Saladin, a cerca de 300 quilômetros das planícies de Nínive, no Iraque, nesta terça (9).

Militantes do Estado Islâmico teriam construído a estrutura, de acordo com o jornal saudita “Arab News”. A descoberta ocorreu quando a operação apoiou dois ataques aéreos coordenados contra terroristas escondidos na região norte do país.

Pelo menos 12 pessoas foram mortas na ofensiva – dez militantes e dois homens-bomba, informou a Coalizão em sua conta no Twitter. O esconderijo, armas e munições do grupo foram destruídos.

Coalizão internacional identifica túnel usado por extremistas no Iraque
Forças dos EUA em Buhriz, Iraque, em março de 2007 (Foto: U.S. Air Force/Stacy L. Pearsall)

No mesmo dia, uma força-tarefa da Turquia neutralizou outros 25 envolvidos em atividades terroristas em uma operação aérea. Os criminosos estavam nas regiões de Hakurk e Qandil, também ao norte do Iraque.

Um dos extremistas capturados na operação seria o líder da Organização Terrorista Fetullah (Feto), disse o ministro da Defesa turco Hulusi Akar à agência turca Anadolu.

O grupo é acusado de orquestrar uma tentativa de golpe de Estado na Turquia em 15 de julho de 2016. Bombardeios terminaram com 251 mortos e 2,7 mil feridos na capital Ancara e nas cidades de Istambul, a maior do país, Marmaris e Malatya.

Auxílio no combate

Em visita à Romênia, Akar chamou a atenção para a necessidade de combater grupos extremistas como o Estado Islâmico, o PKK (Partido dos Trabalhadores Curdos), considerado terrorista pelo governo Erdogan, e a Feto. O ministro prometeu auxílio ao país no combate ao extremismo.

Conforme Akar, em 35 anos a “campanha de terror” do PKK já matou mais de 40 mil civis e militares. O objetivo de Ancara, agora, é “exterminar o grupo”, disse. O PKK tem como objetivo a criação de um Estado curdo.

Só em fevereiro, as forças da Turquia prenderam 165 suspeitos de integrar grupos de terrorismo. Com os detidos estavam centenas de armas e munições pertencentes ao Estado Islâmico – todas apreendidas.

No Brasil

Casos mostram que o país é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino. Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos. Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.

Tags: