Américas

Espiã chinesa teria se envolvido com políticos dos EUA, aponta investigação

A suposta espiã se relacionou com figuras no meio político da Califórnia, incluindo um deputado, entre 2011 e 2015

Dois prefeitos e um deputado dos EUA teriam se envolvido com a suposta espiã chinesa Christine Fang. Uma investigação do site Axios, lançada na terça (8), detalha as relações.

De acordo com a reportagem, Fang se inseriu no meio político da região da baía de São Francisco, na Califórnia, e estabeleceu relações extraconjugais com dois prefeitos da região. Os casos teriam ocorrido entre 2011 e 2015.

Outra “vítima” teria sido o deputado democrata Eric Swalwell, que concorreu nas primárias presidenciais de 2020. A espiã também é suspeita de arrecadar fundos para o parlamentar Tulsi Gabbard.

Questionado, Swalwell afirmou que cortou os laços assim que soube das suas supostas conexões com a China. Já Gabbard negou ter se relacionado, conhecido ou conversado com Fang.

Espiã chinesa teria se envolvido com três políticos dos EUA, revela investigação
O deputado democrata Eric Swalwell, em comício em Washington, junho de 2019 (Foto: WikiCommons/Gage Skidmore)

Os relacionamentos faziam parte de uma campanha de inteligência chinesa de anos, apontou a investigação. O objetivo era influenciar autoridades norte-americanas no início de suas carreiras. Os prefeitos não tiveram seus nomes revelados.

Desde o começo do ano, os EUA já alertaram para diversos casos de espionagem chinesa a figuras políticas do país. Da abordagem via eventos, redes sociais ou invasão de sistemas eletrônicos, o FBI (Departamento Federal de Investigações, em inglês) abre um novo caso de contraespionagem ligado à China a cada dez horas.

Ascensão meteórica

Segundo a investigação, Fang tinha cerca de 30 anos quando chegou aos EUA e se matriculou como estudante da California State University East Bay.

Lá, ela conquistou a presidência de grupos universitários e começou a cultivar “relacionamentos políticos”, disseram testemunhas. Com uma ascensão “meteórica”, Fang logo ganhou protagonismo em eventos políticos da região.

Não demorou muito para que a suposta espiã expandisse a sua rede em todo o território nacional. Em 2014, ela realizou uma conferência para prefeitos dos EUA em Washington. A espiã entrou no radar do FBI em 2015, quando deixou os EUA. Fang não foi mais vista desde então.