Hackers chineses atacam mais de 100 instituições em todo o mundo, diz EUA

Criminosos se infiltraram em empresas, universidades e ONGs; sofisticação de ataques chineses chama atenção
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Um grupo de cinco hackers chineses associados ao serviço de inteligência da China se infiltrou nas redes de mais de 100 instituições ao redor do mundo, afirmou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos nesta quarta (16).

A investigação norte-americana afirma que os ataques visavam o roubo de inteligência e extorsão das vítimas. O governo dos EUA chamou a atenção para a sofisticação dos ataques.

Segundo o relatório, Beijing permitiu de forma deliberada que seus cidadãos efetuassem as invasões. Os resultados das buscas, segundo a investigação, ajudariam o governo.

Hackers chineses se infiltram em mais de 100 instituições em todo o mundo, diz EUA
Equipe do Departamento de Justiça dos EUA em visita técnica nos setores de investigação em junho e 2017. O procurador-geral adjunto Jeffrey Rosen é o primeiro sentado, com gravata azul, da direita para a esquerda (Foto: Departament of Justice U.S.A)

Os ataques atingiram empresas de tecnologia, universidades, agências governamentais e organizaçoes sem fins lucrativos, disse o procurador-geral adjunto dos EUA, Jeffrey Rosen.

Com grande alcance mundial, os hackers se utilizaram da tática conhecida como “ataque à cadeia de suprimentos” – método capaz de desviar informações de clientes e valores depositados nas contas de e-commerces.

Ao invadir os sistemas, os suspeitos incorporavam códigos para rastrear os produtos, afirmou Rosen. Empresas como Microsoft, Alphabet, a controladora do Google, e Facebook auxiliaram na investigação.

A investigação revela ainda que os hackers trabalhavam com empresários da Malásia, Wong Ong Hua e Ling Yang Ching. Eles são acusados de usar plataformas de video games para roubar empresas e lavar dinheiro. Ao jornal “The New York Times”, as autoridades malaias, os dois foram presos na segunda-feira (14).

Este não é o primeiro ataque de hackers chineses detectado pelos EUA. No dia 9 de agosto, criminosos teriam tentado invadir sites das eleições norte-americanas, que acontecem de novembro. A China nega as acusações.

Tags: